Artigo

De tragédia em tragédia esperamos solenemente a próxima

Fabio Palacio

Começamos o ano assistindo estarrecidos e de corações partidos o resgate de corpos vítimas da negligência.

Por trás de cada nome divulgado no noticiário existia uma vida toda de sonhos que foi interrompida.

Pessoas que tocavam seus afazeres sem nem imaginar o perigo que as rondava.

A Barragem de Brumadinho rompeu logo após uma série de eventos que resultaram no mar de lama que colocou um ponto de interrogação na cabeça de todos.

Ainda com as chagas abertas, tivemos a tragédia no CT do Flamengo que tirou mais do que dez possíveis promessas do futebol brasileiro, levou filhos dedicados que venceram diversas peneiras e enchiam de esperança e orgulho suas famílias.

Acreditar em fatalidade diante destas e de outras tantas tristes histórias é simplificar ao extremo uma série de problemas que batem às nossas portas diariamente e que nem nos damos conta.

Além disso, em São Caetano a maioria das escolas públicas e clubes esportivos não tem o Atestado de Vistoria do Corpo de Bombeiros, o AVBC.

O mesmo laudo que faltava no CT do Flamengo. São cerca de 20 mil crianças estudando em locais sem garantias de que estão seguros e preparados para qualquer imprevisto.

Mais uma centena de pessoas que utilizam as piscinas dos clubes e os salões em bailes e eventos todas as semanas.

Afinal, até quando ficaremos esperando solenemente a próxima tragédia? Que nossas orações e preces nos protejam para que não sejamos os próximos a chorar a perda de um familiar querido.

Etiquetas
Mostrar Mais

Walter Estevam

Casado, Publisher do Jornal ABC Repórter e da TV Grande ABC, Presidente da ACISCS, Ex-Presidente da ADJORI, Ex-Presidente da ABRARJ, Ex-Professor Faculdade de Belas Artes de São Paulo, Jornalista, Publicitário, Apresentador dos programas 30 Minutos e Viaje Mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar