EditorialHome

A força do diálogo em resolver conflitos

O ser humano tem seu valores que merecem ser levados em consideração em várias situações.

O ser humano tem seu valores que merecem ser levados em consideração em várias situações.
Porém, para se conseguir conviver em harmonia com o outro, deve levar em consideração a máxima de saber escutar e ouvir com atenção, para que a troca de informações seja consistente e lúcida, para haver comunicação.
Seja no trabalho, na escola, em casa ou até mesmo em congresso, o saber da fala ou da escrita — ou mesmo dos dois — é importante para solidificar a transmissão de ideia e de pensamento, a fim de que, ao longo do processo, o diálogo venha a se formar e a troca de ideias se propagar.
Contudo, quando um dos pares se sente ofendido ou mesmo irritado com tal situação, a melhor forma é procurar não uma discussão, e sim uma contestação programática, para, com um discurso tão eloquente quanto, dar seu ponto de vista e atingir seus objetivos.
A grande questão está justamente nisso, na forma de como podemos nos submeter às tarefas, sem levantar o ego e ficar no sobressalto da imaginação e da anomalia de ser o melhor ou o pior ou ser insignificante.
As discussões climáticas, seja no Brasil, como o caso de Maceió, seja no mundo, como a COP28, não podem entrar no papel de serem armas de conquista ou de apoio para projetos pessoais. Elas precisam seguir adiante na forma de melhorar a qualidade de vida da sociedade e do ambiente ao qual estamos, o planeta Terra.
Por isso, essas reuniões não acontecem constantemente, pois ter um tempo longo entre as explanações dos líderes de Estado nestes congressos servem para observar se tais acontecimentos são verídicos ou não e o que pode ser feito para melhorar.
O ser humano, em geral, é sentimental e leva muito as coisas para o coração. Assim, ter um tempo consigo é bom, mas saber explicar ou mesmo explanar para que considera importante e de confiança o mal que te aflige pode solucionar ou até mesmo dar outras observâncias e alternativas para chegar a uma conclusão final do caso que te magoou ou magoa. Mesmo que isso leva um tempo, nada ficará por debaixo dos panos e as situações precisam se resolvidas da melhor forma possível, com as duas partes bem mentalmente.
Mostrar Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo