Politica

Editorial – Os donos do bode

 Suponhamos, nestes brasis, que um bode vaze a cerca e faça estripulias pelos quintais vizinhos, comendo roupas e marrando quem lhe venha pela frente. Quem deveria ser preso e indenizar os prejudicados segundo a Justiça? O bicho é que não,  mesmo sob risco de virar buchada nessa desventura, ante a ira das vítimas. Os donos dele é que sim. 
Não foi o que aconteceu em Mauá, com a dívida de 2,5 bilhões do SAMA (Saneamento Ambiental de Mauá) e da prefeitura – responsáveis legais pelo fornecimento de água potável e coleta de esgoto do município – com a SABESP, que presta os serviços. 
A Justiça permitiu à concessionária a redução de 10% do fornecimento de água ao município, em “punição” pela dívida. Deu bronca justa e geral. Prefeitos e secretários (o atual prefeito, que empurrava o problema com a barriga, foi um deles) sucederam-se dando calote na SABESP na última década ou mais. Recebiam a grana, mas, não repassavam. 
O caso é que o povo pagou suas contas e o dinheiro sumiu. Os donos da façanha deveriam ser enquadrados respondendo com o próprio patrimônio pelos prejuízos do fornecedor e da população. Mas, sabemos como funciona: político, aqui, só tem medo de bronca popular em massa. Havendo, a coisa muda rapidinho. 
Os involucrados correm a tentar acordos e soluções de há muito procrastinadas. A medida judicial oportunamente produziu tal efeito ao soltar o bode na sala.

Mostrar Mais

Walter Estevam

Casado, Publisher do Jornal ABC Repórter e da TV Grande ABC, Presidente da ACISCS, Ex-Presidente da ADJORI, Ex-Presidente da ABRARJ, Ex-Professor Faculdade de Belas Artes de São Paulo, Jornalista, Publicitário, Apresentador dos programas 30 Minutos e Viaje Mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar