Politica

Editorial – Mundo mundo vasto mundo…

 “… se eu me chamasse Raimundo/ seria uma rima/ não seria uma solução…” – dizia-nos Carlos Drummond no “Poema das Sete Faces”, no eclodir da ditadura Vargas em 1932, enquanto espiava as pernas das moças que passavam nos bondes. “Pra que tantas pernas, meu Deus?”, perguntava-se o Poeta. Vivesse em nossos dias, Drummond poderia aventar qualquer nome, espiar quaisquer pernas e não encontraria nem sequer rimas. A humanidade é insolúvel. Somos o único bicho que enfeita suas mazelas com farsas estapafúrdias, mesmo que isso possa custar-nos as cabeças. 
De um ditadorzinho na Coreia do Norte (Kim Jong-un) ameaçando levar o mundo à catástrofe nuclear, mas de fato servindo aos interesses do complexo industrial-militar ocidental por mais e mais dinheiro, ao impedimento legal de um prefeito (Orlando Morando, de São Bernardo) doar parte de seu salário a instituições oficialmente, a farsa intrínseca é a mesma. 
Num caso, manter um tiranete mequetrefe no poder evita a perda de polpudas verbas públicas para a indústria mundial da guerra. No outro, a renúncia salarial do prefeito pródigo seria lesiva aos super-salários da indústria de cargos municipais, além de péssimo exemplo para os alcaides vizinhos e de mais além. 
Contrariando o Poeta, Orlando não dá rima, mas é solução. O resto são os ditadorezinhos caboclos a serviço de interesses inimagináveis e inconfessáveis… 

Mostrar Mais

Walter Estevam

Casado, Publisher do Jornal ABC Repórter e da TV Grande ABC, Presidente da ACISCS, Ex-Presidente da ADJORI, Ex-Presidente da ABRARJ, Ex-Professor Faculdade de Belas Artes de São Paulo, Jornalista, Publicitário, Apresentador dos programas 30 Minutos e Viaje Mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar