Politica

Editorial – Desafio atual

 Os prefeitos que assumirão mandatos a 1º de janeiro terão repto monumental: arrecadação em baixa e gastos em alta. Os reeleitos que pisaram na bola em gestões passadas, todavia, terão nova oportunidade excepcional de provar não serem os cafuringas que muitos julgam irremediáveis e irrecuperáveis. 
Afirmava Luiz Tortorello, amiúde, que a política atrapalha o administrador, pois sempre e quando interesses de pessoas e grupos se impõem aos interesses da cidadania, é fatal. Daí a degradação estrutural das cidades, cujas origens reportam-se à insolúvel questão fundiária e êxodo rural decorrente desde o século passado. 
Evidentemente, não serão charlatães empombados que resolverão o dilema. Ao contrário: o agravarão. Ou se tem visão urbanística global, vinculada à melhoria sistemática da qualidade de vida de toda a população agora e no futuro, ou seguirão como marionetes de partidos e coligações, aventureiros e quadrilhas. 
O grande gestor público destaca-se pela qualidade de sua equipe e, esta, pela competência de seus membros. Não dá e ou aceita “favores”, não transige com malfeitos e menos ainda os propicia. Governa para a cidade, pela cidade e, consequentemente, com a cidade. 
A qualidade de qualquer governante não se revela apropriadamente na abastança, porém, nas épocas de vacas magras e de penúria, de problemas muitos e recursos parcos. É o grande desafio atualmente.
 

Mostrar Mais

Walter Estevam

Casado, Publisher do Jornal ABC Repórter e da TV Grande ABC, Presidente da ACISCS, Ex-Presidente da ADJORI, Ex-Presidente da ABRARJ, Ex-Professor Faculdade de Belas Artes de São Paulo, Jornalista, Publicitário, Apresentador dos programas 30 Minutos e Viaje Mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar